Música para embalar e encantar na gestação!

musicagest

Por: Joyce Trajano



Música para embalar e encantar na gestação!

A música pode ser definida como a arte de combinar sons e ritmos. É uma prática cultural e humana; não há outra espécie que produza música como os homens. Ela vai de composições fortemente organizadas até as formas aleatórias. Para muitos indivíduos de diversas culturas, a música está intimamente ligada à vida diária.

Há estudos que apontam que a música é conhecida e praticada desde a pré-história. Talvez tenha se iniciado através da observação dos sons da natureza, que despertaram no homem a necessidade de desenvolver uma atividade que se baseasse na organização dos sons. Provavelmente os sons tenham aguçado o sentido auditivo dos homens pré-históricos.

A ciência ainda não possui nenhum critério que permita estabelecer o desenvolvimento da música de forma precisa ao longo da história, mas é fato que ela se confunde com o próprio desenvolvimento da inteligência e da cultura humana.

Através da música podemos expressar diversas emoções e sentimentos a alguém, despertando várias sensações.

É fato que a música tem o poder de acalmar, sensibilizar e motivar os seres. Por isso, ela também é utilizada como terapia para o tratamento de diversas patologias, entre elas: autismo, paralisia cerebral, dificuldades motoras, e, também, como terapia relaxante para idosos e gestantes.


A música na gestação


Durante o período de gestação, a mulher fica mais sensível e a música pode funcionar como um calmante natural sem contraindicações. Além disso, ela consegue estreitar os laços afetivos entre o bebê e a mamãe.

A partir da 16ª semana o sistema auditivo da criança já consegue captar com facilidade os sons externos. Na 20ª semana ela já reage ao que ouve e a partir da 25ª semana, a criança já consegue distinguir os diferentes tipos de sons.

O primeiro som que o bebê reconhece é a voz da mãe, e ele logo o associa a coisas prazerosas. Por isso, conversar com o bebê é tão importante neste período, pois a voz da mãe tem o poder de acalmar o feto, deixando-o mais tranquilo e seguro.

Sendo assim, cante para seu bebê! Canções com melodias suaves são capazes de combater sintomas como stress, depressão e ansiedade. Além de possuir a capacidade de aumentar a atividade cerebral do bebê e auxiliar na produção de bons hormônios na mamãe. Com certeza, cantar é uma atitude simples que beneficia tanto mamães como bebês.

É importante lembrar que as gestantes devem ouvir música por prazer, por isso o ideal é procurar aquelas que mais lhes agradem. É bom ressaltar que as melodias mais calmas, suaves e sem grandes discrepâncias de som, são as mais indicadas para transmitir a sensação de bem estar.

Outro ponto importante a ser observado é o volume da música. Como o líquido amniótico é um excelente condutor de som, não há necessidade de o volume ser muito alto, pois o bebê ouvirá a melodia com facilidade dentro da barriga da mamãe.

A música é excelente fonte geradora de boas energias. Além disso, ela desperta a criatividade, facilita a comunicação, a mobilização e a expressão. Portanto, os laços criados a partir da música tendem a ter uma durabilidade maior.

Então, mãos à obra! Crie seu próprio setlist e divirta-se!!!


Comentários: